sexta-feira, 13 de abril de 2012

DE COMO UMA ÁRVORE BARRIGUDA TORNA MEU DIA MAIS COLORIDO - SUA MAJESTADE A PAINEIRA


Para a região em que moro, que é sempre muito quente, tão quente quanto o próprio caldeirão de sopa do Diabo, o Outono é uma estação muito agradável. Encerra-se o Verão e o Sol já se põe um pouco mais cedo e no finzinho da tarde, uma brisa de frescor ímpar começa a soprar. Muda o perfume do ar, as noites são mais suaves, dormir já não é como antes quando nos sentíamos como um “porco no rolete”, rolando a noite inteira sem conseguir conciliar o sono em cima do braseiro dos lençois. Enfim,  Outono é sinal de amenidades e junto com o Outono surge nos campos e à beira das estradas pelas quais transito alguém muito especial. Imponente, ela se veste de rosa e vem enfeitar minhas estradas. Todos os anos, na mesma época, ela vem tornar meus dias mais floridos e eu apaixono-me de novo por ela. Todos os anos. Estou falando da PAINEIRA (aposto que você já estava pensando besteira).
É de conhecimento geral entre meus alunos, meus colegas de trabalho e meus amigos a minha aversão pelos vegetais. Não! Não se assuste! Não é que eu não goste dos vegetais, muito pelo contrário.  Eu os amo! Eu só não os como, entende? Eu defendo os pobres vegetais destes vegetarianos sem coração que os devoram sem dó nem piedade. E você não sai por aí comendo quem você ama, não é?...  (humm! Melhor eu mudar de assunto, essa frase ficou estranha). Pois é, como eu ia dizendo, eu não gosto muito de comer vegetais, mas amo admirá-los. Principalmente aqueles que se enchem de flores para alegrar os nossos olhos. É bem verdade que não gosto muito de receber de presente aqueles ramalhetes de flores repolhudos e cheios de fitas. Se é pra ser romântico, prefiro minha parte em chocolates (se é que me entende… meio amargo, por favor!). E além disso, as flores são sempre mais belas em seu local de origem. Em seus vasos naturais: a planta, a árvore. Como a bela Paineira. A paineira normalmente começa a florir e perder suas folhas a partir de dezembro, estando completamente sem folhas em abril e maio, quando começa a abrir seus frutos e dispersar suas sementes. A paineira normalmente atinge grandes proporções e seu tronco possui grandes acúleos (aquela coisa que parece espinho, mas que os botânicos insistem em dizer que são diferentes). Sabiam que a paineira pertence à família das "barrigudas" (especialistas em armazenar água) do nordeste e do "baobá" da África? A paina que é uma fibra muito fina e macia retirada de seus frutos pode ser usada para enchimento de colchões e travesseiros tendo sido muito usada, no passado, para enchimento de bóias de embarcações. Sua madeira não tem grande utilidade para o homem, embora os índios botocudos a utilizem para seus ornamentos de beiço e orelha (Não! Gente! Índios Botocudos! Não é um luxo essa informação?). Até o nome da “danada” é imponente: Chorisia speciosa (em itálico, senão a tia Rosana me mata! Acho que este é o único representante do reino vegetal que não me esqueço do nome).
Desta árvore com nome magistral surge a mais bela flor que meus olhos já contemplaram. Elas são grandes, com cinco pétalas rosadas com pintas vermelhas e bordas brancas.Uma flor delicada, porém com cores exuberantes. De tão bela, deixa lágrimas nos olhos e um nó na garganta. Suas pétalas são de um rosa aveludado ao toque e exalam um perfume aveludado ao olfato.
Conta a lenda que “ Quando a Sagrada Família estava fugindo para o Egito com o menino Jesus ...os soldados estavam se aproximando cada vez mais. Então uma grande Paineira que estava no caminho se abriu, eles entraram dentro dela e a Paineira os escondeu. Os soldados passaram e não os encontraram. A Paineira protegeu o menino Jesus e então Ele pode crescer e nos salvar. Por isso a Paineira foi abençoada e desde então é uma Árvore Sagrada (Repertório das Essências Florais  “Filhas De Gaia” de Maria Grillo). Sem dúvida uma árvore tão majestosa com flores tão belas só poderia ser sagrada e ao sagrado curvo os joelhos para dizer: Que bom que você existe, nem que seja só para tornar meus dias mais alegres!

Dados Científicos por Eduardo Luís Martins Catharino (Engenheiro Agrônomo, mestre em Botânica e pesquisador científico do Instituto de Botânica de São Paulo) - http://www.cotianet.com.br

Um comentário:

  1. Que lindo! Veja a foto que postei no meu face daquelas paineiras que vemos ao sair de Franca. Bjs e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir